Amazônia: carta aberta a Boris Johnson

Com o desmatamento ainda em níveis recordes e as queimadas na Amazônia, uma coalizão de ONGs, grupos indígenas, cientistas e acadêmicos brasileiros e estrangeiros está instando o primeiro-ministro no Dia Mundial da Amazônia a agir sobre o desmatamento tropical. Eles enviaram no domingo(5) uma carta ao gabinete do primeiro ministro Boris Johnson dando orientações para fortalecer a política ambiental do Reino Unido com relação à Amazônia. A carta é assinada por cientistas brasileiros da Coalizão Ciência e Sociedade, entre eles, Mercedes Bustamante (UnB).

 

Nota de Mercedes Bustamante

“A carta destaca as conexões entre relações comerciais e cadeias produtivas em várias partes do mundo e o desmatamento ilegal na Amazônia com repercussões negativas e dramáticas para povos indígenas, a estabilidade climática e a conservação da biodiversidade. Há, ainda, a avaliação por parte do Legislativo Federal de vários projetos, que se aprovados e implementados, ampliarão e acelerarão a rota de degradação já em curso da Amazônia. Dessa forma, é fundamental que empresas e governos que têm parcerias comerciais com o Brasil manifestem sua oposição às ações contra o meio ambiente e atuem de forma transparente para eliminar o desmatamento e outras atividades ilegais de suas cadeias produtivas. Espera-se que o governo britânico, como anfitrião da COP26 da Convenção do Clima, seja um porta-voz e um ator importante nessa direção”.

 

Carta aberta na íntegra

Publicado por

Agência Bori

A Bori conecta o conhecimento produzido por cientistas brasileiros à imprensa de todo o país, disponibilizando estudos inéditos acompanhados de textos explicativos e do contato de um porta-voz do trabalho a jornalistas cadastrados Ver todos os posts de Agência Bori