Bori fecha ano com mais de 250 cientistas e jornalistas treinados para comunicar ciência

*Por Natália Flores

Em 2021, demos o pontapé inicial na nova frente de atuação da Bori: os treinamentos em comunicação com a imprensa para cientistas e em temas específicos para jornalistas, como sistemas alimentares, vacinas e crise climática. Ao todo, foram 13 cursos, workshops e webinários realizados ao longo do ano, que prepararam mais de 250 jornalistas e pesquisadores da nossa comunidade para comunicar ciência.

Projetados para ajudar cientistas a melhor disseminarem os resultados de suas pesquisas para a imprensa, os treinamentos receberam grupos de diversas áreas e instituições do país. Ensinamos táticas de como melhorar a comunicação com jornalistas a pesquisadores da nossa comunidade que trabalham com temas ambientais e com sistemas alimentares, em áreas como agronomia, saúde e economia. Também fizemos treinamentos para grupos de instituições específicas como a UFRJ, Serviço Geológico do Brasil e para os pesquisadores grantees do Instituto Serrapilheira.

Os cientistas relatam que, graças aos nossos treinamentos, entenderam a complexidade da divulgação científica e a necessidade de aprimorar o diálogo com jornalistas.

 

Preparar jornalistas para coberturas complexas

De outro modo, as formações para jornalistas pretenderam fornecer suporte a aos profissionais  interessados em conhecer temas científicos complexos para melhor aproveitá-los em suas pautas. Foram os casos de crise climática, alimentação e vacinas — todos temas transdisciplinares que envolvem olhar para contextos econômicos, sociais e sanitários. Com esses temas “quentes” no noticiário brasileiro, era preciso ensinar jornalistas generalistas a reportar com base em evidências científicas.

As duas edições do curso “Explorando Pautas Alimentares”, realizadas em setembro e novembro de 2021, muniram 50 jornalistas de todos os cantos do país de conhecimentos sobre a complexidade da cobertura alimentar, com bate-papos sobre os impactos dos sistemas alimentares na saúde humana e planetária. Estamos falando de jornalistas de veículos com amplo alcance, como CNN Brasil, O Globo, Folha de S. Paulo, UOL e de veículos com alcance mais segmentado e regionalizado, como O Liberal (Pará), Zero Hora (Rio Grande do Sul) e Correio (Bahia).

Acompanhando a pauta ambiental, realizamos uma série de webinários para preparar jornalistas para a cobertura da divulgação do 6º relatório do IPCC, em agosto, e da 26ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudança do Clima — a COP26, ocorrida em Glasgow, Escócia, em novembro de 2021. Em encontros exclusivos para jornalistas da comunidade da Bori, Paulo Artaxo (USP) e Mercedes Bustamante, cientistas que participam da produção de relatórios do IPCC, tiraram dúvidas de jornalistas sobre o recém lançado relatório sobre a crise climática.

Em outubro, foi a vez de fazermos um aquecimento para a cobertura da COP26, com dois webinários para jornalistas com pesquisadores expoentes do Reino-Unido e Brasil. Eles trouxeram, em primeira mão, informações e provocações sobre o papel da ciência, da sociedade civil e dos governantes no enfrentamento à crise climática.

Gerar conexões entre participantes

Nossa grande inovação neste ano foi o desenvolvimento do nosso primeiro programa de mentoria jornalística de longo prazo: o InfoVacina, que acompanha e orienta, desde outubro, 25 jornalistas de diferentes regiões brasileiras na cobertura sobre imunização e vacinas. Ele surgiu de uma demanda intensa dos jornalistas por conhecimento sobre o tema, já que muitos deles caíram de paraquedas na cobertura da pandemia de Covid-19. É a segunda iniciativa sobre vacinas da Bori apoiada pelo Sabin Vaccine Institute — e vai até janeiro de 2022.

Além do impacto na qualidade da produção jornalística, os cursos têm sido uma chance dos jornalistas da comunidade da Bori interagirem de forma mais intensa com pesquisadores e com os próprios colegas, refletindo sobre os desafios na cobertura de ciência em cenário de desinformação e o papel de cada um neste processo. Assim, ajudamos a estabelecer conexões que podem se perpetuar para além dos treinamentos.

 

Veja alguns depoimentos

 

“Curso muito interessante e que ajudou muito a compreender a maneira como cativar o jornalista a “comprar” a matéria” – cientista Luiz Pinto (CPRM) sobre curso Comunicação com a Imprensa da Bori

“Foi um espaço de trocas muito importante e rico, com muitos ensinamentos, que foram fundamentais para compreender as complexidades da divulgação científica em meios jornalísticos” – cientista Isabel Cristina Lourenço da Silva (Associação Brasileira de Agroecologia) sobre a 1ª edição do curso “Noticiando Alimentação”

“Excelente curso, me sinto muito mais preparada para a cobertura de pautas alimentares!”jornalista Luana Lisboa (Jornal Correio) sobre 2ª edição do curso “Explorando Pautas Alimentares”

“O webinário ‘COP26 e a Ciência’ foi fundamental para que eu pudesse compreender a importância desse evento. As mudanças climáticas são uma realidade para a qual precisamos estar preparados. E nesse contexto, trabalhos como o da Agência Bori nos dão o suporte que precisamos”jornalista Frederico Santana (site Vocativo)

“Construir pontes entre o jornalismo e a ciência é cada vez mais importante. Iniciativas como o InfoVacina são fundamentais, não só para o crescimento profissional, mas para a construção de uma sociedade melhor no Brasil” jornalista Luís Felipe dos Santos (Aos Fatos), sobre programa InfoVacina

 

*Gerente de conteúdo da Bori.

Publicado por

Agência Bori

A Bori conecta o conhecimento produzido por cientistas brasileiros à imprensa de todo o país, disponibilizando estudos inéditos acompanhados de textos explicativos e do contato de um porta-voz do trabalho a jornalistas cadastrados

Sair da versão mobile