Livro antecipado pela Bori que trata de gestão da Covid-19 se destaca como pesquisa mais discutida em 2021 no Altmetric

por Jacqueline Lafloufa*

 

Dentre as retrospectivas realizadas neste ano pelo Altmetric, principal ferramenta utilizada hoje para monitoramento e análise do impacto de pesquisas acadêmicas, o livro “Coronavirus Politics“, que foi disseminado à imprensa pela Bori em abril, foi apontado como a monografia mais discutida do ano. Esse tipo de métrica reforça a importância da disseminação da ciência na imprensa, já que muitos dos tomadores de decisão que se beneficiam com a produção científica de qualidade costumam acessá-la por meio da mídia. 

O trabalho, liderado pela professora da FGV EAESP Elize Massard da Fonseca, juntamente com os pesquisadores Scott Greer e Elizabeth King, da Universidade de Michigan (nos EUA), mostrou que as políticas de saúde adotadas para o controle da pandemia nos países estudados – como o distanciamento social, o uso de máscaras e o estabelecimento de lockdowns – estiveram dissociadas de políticas sociais pudessem garantir que os cidadãos pudessem cumprir com as intervenções sugeridas para conter o espalhamento da Covid-19.

No correr dos seus capítulos, o livro “Coronavirus Politics” destaca a grande variação de respostas à pandemia em diversas partes do globo, o que levou a resultados trágicos em países como Brasil, EUA, Espanha e Índia. Além disso, os autores apontaram que líderes considerados controversos, como Donald Trump (EUA), Jair Bolsonaro (Brasil), Sebastián Pinera (Chile) e Boris Johnson (Reino Unido), agiram de forma autoritária (e até excêntrica) na resposta à Covid-19 por conta dos poderes constitucionais que têm para tal em seus países.

Os achados da pesquisa, condensados no livro, chegaram inclusive a serem mencionados por duas vezes durante os questionamentos sobre a gestão do enfrentamento da Covid-19 realizados no âmbito da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da pandemia.

“Estar em primeiro lugar de todas as monografias publicadas em 2021 é motivo de muito orgulho. Por um lado, fico feliz de ver o nosso trabalho, que foi um esforço colaborativo, ser reconhecido e debatido pela sociedade — dado que esse é um importante indicador para rastrear os usos e a atenção social de publicações científicas. Por outro, acho que ilustra bem a importância da divulgação científica: fazer a informação produzida na academia chegar ao público e tomadores de decisão”, celebra Massard da Fonseca, complementando que boa parte desse resultado tem a ver com a atenção que o trabalho recebeu no Brasil. 

Além de ter sido apontada como a monografia mais comentada do mundo pelo Altmetric, a obra também foi bastante citada na imprensa brasileira nos dias seguintes à sua publicação, conquistando menções em mídias como Correio Braziliense, Estadão, Deutsche Welle, UOL, Época e Agência Fapesp.  Na época, Sabine Righetti, fundadora da Agência Bori, destacou que “a referência a trabalhos acadêmicos em tomadas de decisão após veiculação na mídia é uma das maneiras mais interessantes de se verificar o impacto da uma pesquisa científica veiculada na imprensa”, já que, segundo Righetti, tomadores de decisão importantes, como políticos, empresários e gestores, têm acesso ao conhecimento acadêmico principalmente por meio da imprensa. “Isso torna o jornalismo científico ainda mais importante”, defendeu.

O livro também deverá ganhar uma sequência em breve, dessa vez analisando o impacto da regulação global das vacinas contra a Covid-19. “Já produzimos um primeiro artigo, que chama a atenção para a necessidade de compreender as variações na regulação das vacinas, tanto dos procedimentos adotados em cada país quanto do interesse das indústrias em registrar a vacina em alguns mercados específicos”, antecipa Massard da Fonseca. Se depender do ímpeto dos pesquisadores, eles estarão também no páreo para os rankings do Altmetrics de 2022. 

 

*Jacqueline Lafloufa é coordenadora de projetos especiais da Bori e pesquisadora do LabJor/Unicamp.

 

Publicado por

Agência Bori

A Bori conecta o conhecimento produzido por cientistas brasileiros à imprensa de todo o país, disponibilizando estudos inéditos acompanhados de textos explicativos e do contato de um porta-voz do trabalho a jornalistas cadastrados

Sair da versão mobile