17 de abril de 2020 Salvar link Foto: HELENA LOPES / UNSPLASH
Comportamento Social

Highlights

  • Estudo indica que perfil de personalidade é determinante para adesão às medidas de contenção contra a Covid-19 
  • Pessoas mais conscienciosas planejam mais, seguem com mais facilidade normas e regras e são mais aderentes ao isolamento social
  • Questionário online foi respondido por 715 brasileiros, a partir de 18 anos, nos dias 18 e 19 de março

Você acha necessário evitar o máximo possível a aproximação entre as pessoas até que a situação do coronavírus seja controlada? Você acha que é necessário lavar as mãos e usar álcool em gel várias vezes ao dia? Essas duas questões compuseram o questionário que avaliou a relação entre diferentes perfis de personalidade com a adesão ao isolamento social decorrente da pandemia do novo coronavírus. Os resultados foram publicados em 9 de abril por pesquisadores do Laboratório de Avaliação Psicológica e Educacional da Universidade São Francisco (USF), em Campinas, na revista “Trends in Psychiatry and Psychotherapy”.

Foi aplicado um questionário online, aprovado pelo Comitê de Ética da USF, junto a 715 brasileiros a partir de 18 anos. Os participantes foram recrutados por amostra de conveniência (população mais facilmente acessível). Os participantes são majoritariamente mulheres (77,3%), solteiros (52,2%), caucasianos (69,5%), com ensino superior (68,8%). Cinco participantes haviam feito o teste da Covid-19 e dois foram diagnosticados com a doença. Por meio do Google Forms, nos dias 18 e 19 de março, foram respondidas as questões referentes a variáveis sobre isolamento social e higienização das mãos. Ao todo, foram 30 itens, com escalas de pontuação.

Enfrentamento como reflexo do perfil de personalidade

Neste estudo, liderado pelo psicólogo Lucas de Francisco Carvalho, foi adotada a BF1-2-S, uma medida de autorrelato de traços de personalidade no Modelo de Cinco Fatores (MFF), definidos como Abertura à Experiência, Conscienciosidade, Extroversão, Amabilidade e Neuroticismo. Ênfase foi dada para a comparação entre as pessoas com perfis conscienciosos e extrovertidos.

De acordo com Lucas Carvalho, as pessoas extrovertidas, por gostarem mais de estar entre grupos de pessoas, serem mais comunicativas e gostarem mais de sair, têm mais dificuldade de se engajar nas medidas de contenção, principalmente o isolamento social, em comparação a pessoas mais conscienciosas.

“Isso faz sentido, porque pessoas mais extrovertidas têm mais dificuldade de não estar entre grupos de pessoas. Além disso, pessoas mais conscienciosas planejam mais, seguem com mais facilidade normas e regras e são mais preocupadas de modo geral”, explica.

Contribuições e próximos passos frente à pandemia

De acordo com o psicólogo, a principal contribuição do estudo foi reforçar que os traços de personalidade têm um papel importante no engajamento ou adesão às medidas de contenção. É necessário, avalia o autor,  olhar atentamente para esses traços, conhecer e indicar para as pessoas os melhores caminhos para superar as suas dificuldades.

O autor afirma que, a partir destes achados, o estudo foi ampliado e já foram coletadas informações com mais quase mil pessoas. Agora estão sendo avaliados mais traços de personalidade — o novo questionário está disponível aqui.

Termos de uso

Todos os releases sobre as pesquisas nacionais já publicados na área aberta da Bori (e que, portanto, não estão sob embargo) podem ser reproduzidos na íntegra pela imprensa, desde que não sofram alterações de conteúdo e que a fonte Agência Bori seja mencionada.

Veja como citar a BORI quando for publicar este artigo:

Fonte: Agência Bori

Ao usar as informações da Bori você concorda com nossos termos de uso.

Publicado na Bori em 17/4/2020, 15:51 – Atualizado em 21/2/2021, 13:35