Origem do release:
13 de janeiro de 2021 Salvar link
Biologia

Highlights

  • Combinando ciência, história e narrativa ficcional, obra desvenda enigma biogeográfico na Cadeia do Espinhaço
  • Descoberta de ave, em 2007, leva a uma revisão da história geológica da América do Sul
  • Livro de popularização científica faz parte da Coleção Meio de Cultura da Editora Unicamp

Uma nova espécie de ave é encontrada no Brasil, mais especificamente na Cadeia do Espinhaço, cordilheira que cruza os estados de Minas Gerais e Bahia.  Em um primeiro olhar, parece semelhante a um joão-de-barro ou a um sabiá sujo. Mas estudos vão revelando que se trata de outra espécie e que sua  presença naquele local contrariava o que se sabia até então. Este enigma biogeográfico leva à concepção do livro “Um sabiá sujo: A aventura científica sobre a descoberta de uma ave e de um continente”, de Marcos Rodrigues. A obra, lançada na quarta (13), faz parte da Coleção Meio de Cultura, uma série de livros de divulgação científica publicados pela Editora da Unicamp.

O autor é biólogo e mestre em Ecologia pela Unicamp e doutor em Zoologia pela Universidade de Oxford, Inglaterra. Autor de mais de cem artigos científicos, é professor na UFMG, onde conduz pesquisas na área de comportamento e ecologia animal. Misturando observação científica, informação história e narrativa ficcional, o livro apresenta a descoberta, em 2007, de um pássaro aparentemente comum, o Cinclodes espinhacensis, conhecido como pedreiro-do-espinhaço – uma ave com cerca de 22 centímetros de comprimento, plumas amarronzadas, parte inferior bege, faixa amarelada sobre os olhos, pernas curtas e escuras, bico preto e afilado.

O pedreiro-do-espinhaço pertence a um grupo típico das altas montanhas da Cordilheira dos Andes e dos frios campos da Patagônia, jamais tendo sido observado nas montanhas de Minas Gerais. Sua descoberta suscita uma discussão sobre a história geológica da América do Sul e sobre a teoria da evolução.

Marcos Rodrigues transforma a descoberta científica em uma narrativa ficcional de que tomam parte nomes centrais da biologia, da geografia e da literatura, como Alexander von Humboldt, James Cook e Pablo Neruda e de que não poderia estar ausente o naturalista mais importante para esta história: Charles Darwin. A jornada leva o narrador à Alemanha da Segunda Guerra, passando pelo rio Amazonas, pelo o arquipélago de Galápagos, por Londres, Cochabamba, Potosí, Namíbia e África do Sul, em uma busca pela solução desse mistério biogeográfico.

Um sabiá sujo é uma jornada científica apaixonada. Como todo bom livro de divulgação científica, destina-se a vários públicos: dos ornitólogos amadores aos biólogos e geógrafos; dos estudantes de graduação aos curiosos pelas descobertas científicas.

Termos de uso

Todos os releases sobre as pesquisas nacionais já publicados na área aberta da Bori (e que, portanto, não estão sob embargo) podem ser reproduzidos na íntegra pela imprensa, desde que não sofram alterações de conteúdo e que a fonte Agência Bori seja mencionada.

Veja como citar a BORI quando for publicar este artigo:

Fonte: Agência Bori

Ao usar as informações da Bori você concorda com nossos termos de uso.

Publicado na Bori em 13/1/2021, 22:00 – Atualizado em 1/4/2021, 17:04