A partir de novembro, a Bori passa a contar com um novo Conselho Consultivo composto por dez membros de várias áreas do conhecimento. A proposta é colher sugestões e críticas sobre o trabalho que tem sido realizado pela agência no sentido de comunicar a ciência brasileira para a sociedade via imprensa.

Integram o novo Conselho Consultivo da Bori: Carlos Henrique de Brito Cruz (Elsevier), Fernando Lopes Alberto (Grupo Fleury), Juliana Macedo (designer de serviços), Juliana Oliveira (Oliver Press), Marcelo Knobel (ex-reitor da Unicamp), Marcelo Leite (jornalista da Folha de S.Paulo), Mayra Castro (empreendedora), Mercedes Bustamante (UnB/Coalizão Ciência e Sociedade), Natália Pasternak (Instituto Questão de Ciência) e Ronaldo Mota (Digital Pages/IPD).

O grupo é formado por empreendedores, empresários, cientistas, gestores e jornalistas com diferentes áreas de formação e de todo o país — três deles baseados, atualmente, fora do Brasil (no Reino Unido, Portugal e Estados Unidos). As conversas são conduzidas pelas fundadoras da Bori, Ana Paula Morales e Sabine Righetti.

A primeira reunião remota do conselho se deu concomitantemente ao seu lançamento, no início de novembro. A proposta é realizar encontros remotos semestrais. A próxima conversa será em maio de 2022.

A Bori espera que a iniciativa contribua para a melhoria de suas ações voltadas para comunicar a ciência brasileira para a sociedade via imprensa, bem como para aprimorar a gestão e a transparência da agência.