A Agência Bori entra ar oficialmente nesta quarta (12). Quem navegar pelo site, encontrará cerca de 40 releases sobre pesquisas científicas brasileiras recentemente publicadas em temas como obesidade mórbida, ferrugem no cafeeiro e emissão de CO² no transporte público de instituições como a Fiocruz, a Embrapa, a FGV EAESP, as universidades federais de Santa Catarina, da Bahia, de Santa Maria, de Uberlândia, de Pernambuco, além de estaduais como a USP, UERJ e a estadual de Roraima.

Jornalistas cadastrados encontrarão ainda mais informação. A Bori traz o estudo completo (pdf e/ou link) e contato dos autores em todos os releases publicados no site. Além disso, jornalistas cadastrados terão acesso antecipado a três novos estudos científicos brasileiros, que serão publicados em 21 de fevereiro, acompanhados de release e do contato do porta-voz desses trabalhos acadêmicos.

Semanalmente, na sua versão inicial, a Bori vai antecipar à imprensa cadastrada três estudos nacionais cerca de dez dias antes de serem oficialmente publicados nos seus respectivos periódicos científicos — o que acontece sempre às segundas e às sextas.

Participam da Bori mais de 80 revistas científicas nacionais importantes indexadas na biblioteca eletrônica SciELO, parceira do projeto, tais como a “Arquivos Brasileiros de Cardiologia”, a “Ciência Rural”, a “História, Ciências, Saúde – Manguinhos” e outras. A expectativa é aumentar a coleção ao longo de 2020.

Desde a última quinta-feira (6), jornalistas que tiverem interesse em ter acesso a estudos científicos nacionais antes da publicação já podem se cadastrar na Bori. Até o fechamento deste texto, cerca de 100 jornalistas já tinham se cadastrado.

Vale lembrar que não é preciso ser jornalista de ciência para se cadastrar: a Bori trará estudos de todas as áreas do conhecimento – de interesse de editorias de ciência, saúde, ambiente, economia, cidades e outras.

O lançamento da Bori foi marcado por um debate sobre jornalismo científico no Brasil, que aconteceu no Sprace (IFT-Unesp). Participaram da conversa o cientista Marcelo Vianna (diretor-geral do Impa), Mariana Versolato (editora de ciência e saúde da Folha de S.Paulo) e Abel Packer (diretor do Programa SciELO-Fapesp), com mediação de Sabine Righetti e Ana Paula Morales, coordenadoras da Bori. Você pode assistir ao evento de lançamento aqui.