Foto: Roque de Sá / Agência Senado

Gabriela Lotta, professora e pesquisadora de Administração Pública e Governo da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV EAESP), foi nomeada uma das 100 acadêmicas mais influentes do mundo na área de governo no ano de 2021. A lista, divulgada nesta segunda-feira, 20 de dezembro, é baseada em consulta a servidores públicos realizada pela Apolitical, plataforma voltada para o aprimoramento da gestão governamental em todo o mundo.

A lista da Apolitical destaca a atuação da pesquisadora nas áreas de burocracia, implementação e gestão governamental. Entre os projetos de pesquisa que Lotta executa atualmente, estão estudos sobre o impacto da pandemia de covid-19 nos profissionais da linha de frente dos serviços públicos, antecipados, em primeira mão, aos jornalistas cadastrados na Bori ao longo de 2020 e 2021. A série de relatórios teve grande repercussão na imprensa nacional em veículos como Globonews, CNN, SBT, Folha de S. Paulo, Zero Hora, Folha de Pernambuco, Portal Paraíba (PB) e deu base a uma denúncia contra o governo federal feita em maio de 2021 à Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), órgão ligado à Organização dos Estados Americanos (OEA).

“É uma honra enorme ver meu nome ao lado de tantos nomes internacionais de peso que tanto admiro. Essa nomeação é um reconhecimento não apenas da importância das pesquisas que coordeno, mas, acima de tudo, do potencial que elas têm de influenciar os governos e melhorar a qualidade da administração pública. E é importante mencionar que esse reconhecimento só é possível graças aos servidores públicos comprometidos e engajados que se utilizam das evidências produzidas por nós, pesquisadores, para melhorar a tomada de decisão”, destaca Lotta.