Conhecer o perfil racial da imprensa brasileira e, mais ainda, o seu impacto na produção jornalística nacional são desafios importantes quando o assunto é diversidade no jornalismo. Sintonizada com esse tema, a Bori se tornou apoiadora da pesquisa “Perfil Racial da Imprensa Brasileira”, que tem como objetivo mapear a diversidade das redações de todo o país.

Idealizada pelo Jornalistas&Cia, Portal dos Jornalistas e Instituto Corda, a pesquisa vai coletar dados de jornalistas trabalhando em redações de todo o Brasil, por meio de um questionário virtual até o dia 30 de setembro. Em uma segunda etapa, 200 jornalistas serão entrevistados, por telefone, sobre questões mais sensíveis à temática racial.

A ideia é abranger os 61 mil jornalistas em atividade nas cinco regiões do país e, por isso, a articulação com associações de jornalistas e veículos se mostra fundamental. Além da Bori, a iniciativa recebe apoio institucional da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), Associação de Jornalismo Digital (Ajor), Associação dos Jornalistas de Educação (Jeduca), Instituto para o Desenvolvimento do Jornalismo (Projor), Universidade Zumbi dos Palmares e outros.

“O objetivo é fazer um recenseamento racial nas redações, contribuindo para que o jornalismo possa caminhar de forma mais ágil em direção à diversidade e à inclusão, passando a ser mais equilibrado em seus quadros de colaboradores e no próprio noticiário, em especial no que diz respeito à questão racial”, explica Eduardo Ribeiro, diretor do Portal dos Jornalistas e da newsletter Jornalistas&Cia.

A diversidade é ponto-chave no delineamento das ações da Agência Bori junto às comunidades de cientistas e jornalistas. Ainda assim, não conseguimos acessar determinados dados sobre o perfil racial de pesquisadores e de jornalistas brasileiros, por serem escassos. Ao trazer um panorama racial dos jornalistas brasileiros, os resultados dessa pesquisa podem ajudar a Bori e outras iniciativas a aprimorar suas ações e promover a diversidade na cobertura jornalística no país.