Origem do release:
7 de dezembro de 2020 Salvar link Foto: Pawer Czerwinski / Unsplash
Ciência Política

Highlights

  • Livro traz entrevistas com Olavo de Carvalho, Steve Bannon e Aleksandr Dugin, entre outras cabeças do Tradicionalismo
  • Desprezo pela modernidade e busca por uma religiosidade estão entre elementos da doutrina intelectual da extrema direita
  • Obra revela como esse pensamento interfere na política mundial, dando destaque ao Brasil, Estados Unidos e Rússia

Chega ao Brasil a versão em português do best-seller internacional War For Eternity, escrito por Benjamin R. Teitelbaum. Publicado pela Editora da Unicamp, o livro estará à venda a partir de 7 de dezembro. Guerra pela eternidade expõe o pensamento Tradicionalista, uma das facetas mais conservadoras da extrema direita mundial. E o faz sem rodeios, da maneira mais direta possível: por meio de uma série de entrevistas com destacados tradicionalistas como Steve Bannon, Olavo de Carvalho, Alexandr Dugin.

Teitelbaum é etnógrafo, doutor pela Universidade de Brown e professor de Etnomusicologia e de Relações Internacionais na Universidade do Colorado. Ele realizou as entrevistas entre 2018 e 2019, lançando o livro no começo de 2020, o que torna o seu conteúdo bastante atual.

A obra traça conexões entre os adeptos do Tradicionalismo, a fim de revelar como esse pensamento tem influenciado a política de diversos países, dando destaque aos EUA, Brasil e Rússia. Além disso, apresenta os fundamentos desse movimento: o desprezo pela modernidade (que pode ser representada tanto pela China, segundo Bannon, quanto pelos EUA, segundo Dugin), a busca por uma religiosidade que teria se perdido ao dar espaço para a liberdade de expressão, a rejeição à democracia secular e à igualdade econômica. Tradicionalistas acreditam em hierarquia e, portanto, recusam a homogeneidade das sociedades de massa e a busca pela igualdade social. Acreditam na necessidade de retroceder ao mundo anterior à modernidade e de retomar valores que se teriam perdido como a superioridade do norte em relação ao sul, dos homens sobre as mulheres, dos brancos sobre os negros.

Para explicar como uma doutrina com preceitos tão radicais teria ganhado o apoio popular, o autor coloca em discussão acontecimentos bastante recentes, como a eleição de Trump em 2016 e a de Bolsonaro em 2018 – o que evidencia ainda mais a importância de sua temática para o público brasileiro que deseja compreender as raízes do pensamento extremista de Olavo de Carvalho, o “guru” bolsonarista.

Termos de uso

Todos os releases sobre as pesquisas nacionais já publicados na área aberta da Bori (e que, portanto, não estão sob embargo) podem ser reproduzidos na íntegra pela imprensa, desde que não sofram alterações de conteúdo e que a fonte Agência Bori seja mencionada.

Veja como citar a BORI quando for publicar este artigo:

Fonte: Agência Bori

Ao usar as informações da Bori você concorda com nossos termos de uso.

Publicado na Bori em 7/12/2020, 19:00 – Atualizado em 22/2/2021, 7:35